Como investir com pouco dinheiro

Se o seu salário não é tão alto, saiba que ainda assim é possível prosperar financeiramente, desde que você consiga poupar para investir.

Pode parecer uma missão impossível, mas, acredite, não é. O segredo é se organizar e fazer escolhas racionais no dia a dia.

No longo prazo, a tendência é que os resultados apareçam e a sua relação com o dinheiro fique cada vez melhor.

Neste post vamos explicar como poupar para começar a investir, além de apresentar opções de investimentos para quem tem pouco dinheiro para aplicar. Continue a leitura!

Por que investir?

A melhor maneira de responder a essa pergunta é mostrar como uma pessoa com controle sobre a sua vida financeira tem mais chances de prosperar do que quem não faz isso.

Pense em um indivíduo que gasta tudo o que recebe, mantendo um padrão de vida confortável, mas com compras desnecessárias.

Agora, imagine outro, que recebe o mesmo valor, mas troca os gastos supérfluos por investimentos.

Em um primeiro momento, pode até parecer que a pessoa do primeiro exemplo fez a escolha certa, pois parece muito mais divertido.

Entretanto, é questão de tempo até o dinheiro investido se valorizar em função dos juros compostos.

Ou seja, dentro de alguns anos, mesmo investindo pouco por mês, a pessoa do primeiro exemplo verá que seu dinheiro rendeu e poderá dar a ele um padrão de vida elevado, ainda que o salário não aumente.

Se o investimento for feito em função de objetivos claros, pode ajudar você a viabilizar a compra de um imóvel, uma viagem ou até mesmo a abertura de um negócio próprio.

Como começar a investir com pouco dinheiro?

Primeiro, comece colocando todas as suas contas no papel. É fundamental saber para onde seu dinheiro vai para ter maior controle.

Boa parte das pessoas acaba gastando mais do que precisa. É um produto um pouco mais caro aqui, um gasto desnecessário ali, uma opção errada lá.

Quando você visualiza esse tipo de movimentação, fica mais fácil identificar os erros e mudar sua postura no dia a dia.

Quando terminar de anotar essas movimentações financeiras, mapeie o que é fundamental para a sua vida.

Uma dica é trabalhar com o método 50/30/20: destinando 50% de seus ganhos ao pagamento de contas essenciais, 30% para a manutenção do estilo de vida e 20% para prioridades financeiras.

O que seriam essas prioridades? Pode ser o pagamento de suas dívidas, caso existam, a formação de uma reserva de emergência ou um investimento.

Organizar as prioridades

Primeiro, o mais prudente, é pagar as dívidas. Em seguida, o ideal, é criar a sua reserva de emergência, justamente para se proteger de futuros problemas financeiros.

O que é essa reserva de emergência? É um montante de segurança que pode corresponder entre 6 a 12 vezes o seu gasto mensal, ou seja, se você gasta R$ 1 mil por mês, precisa ficar entre R$ 6 mil e R$ 12 mil.

Essa reserva permite que você tenha segurança diante de imprevistos, como doenças ou perda de emprego.

E é por isso que ela deve ser sempre o seu primeiro passo. Para isso, opte por ativos com liquidez e segurança. Um caminho natural é investir em renda fixa.

As aplicações de renda fixa costumam apresentar desempenho melhor que a poupança e são tão ou mais seguras.

O que é renda fixa

É uma classe de investimentos que seguem regras de desempenho. É diferente da renda variável, em que não existem essas regras.

Há diferentes tipos de títulos de renda fixa, como os públicos, oferecidos pelo governo, e os privados, que em geral são ofertados por instituições financeiras.

A renda fixa se concentra menos em garantir rentabilidade ao investidor do que em buscar segurança e liquidez.

Sendo assim, é muito recomendada para o investidor de pequeno porte, que precisa se organizar financeiramente.

Dentro da renda fixa, o Tesouro Direto costuma ser um aliado de quem procura saber como investir com pouco dinheiro, pois é possível começar com apenas R$ 30 reais. Você pode optar por papéis com diferentes rentabilidades.

Há títulos com rentabilidade preestabelecida no momento da compra, há aqueles cujo rendimento é atrelado ao desempenho da taxa básica de juros – a Selic – e os com rendimento híbrido, que rendem o equivalente à inflação mais uma parte prefixada.

A ideia é você recorrer a investimentos diferentes conforme os seus objetivos.

Com isso em mente, você verá que é perfeitamente possível investir com pouco dinheiro, porque, além do Tesouro, no mercado, há outros ativos acessíveis para todo o tipo de público.

Como começar a investir?

O Tesouro Selic é uma boa solução para quem quer começar a aplicar, pois, além da alta liquidez e da segurança, ele tem uma rentabilidade superior à da poupança.

Pensando no médio prazo, pode ser uma boa opção aplicar em ativos como as Letras de Crédito, que, apesar da baixa liquidez, rendem um pouco mais e são isentas de Imposto de Renda.

Enfim, se a ideia é saber como investir com pouco dinheiro, o caminho sempre é a educação financeira. Pesquise e leia sobre os investimentos. A informação é a sua grande aliada neste momento.

Para começar com o pé direito, o ideal é procurar por ajuda especializada. É bem mais fácil investir por meio de corretoras de valores.

 

Fonte: Blog Genial Investimentos