Independência financeira: descubra como conquistar a sua!

Muitas pessoas têm vontade de alcançar a independência financeira e estão dando os passos necessários para conquistá-la desde já. Acontece que esse tipo de projeto nem sempre parece possível. Afinal, para alguns brasileiros, juntar dinheiro não tem sido nada fácil, e os números comprovam isso.

Segundo a Confederação Nacional do Comércio, os brasileiros endividados são nada menos que 67% da população. Isso significa que a maioria das pessoas precisa aprender a administrar o próprio dinheiro para realizar seus sonhos. Falaremos um pouco sobre o tema neste artigo.

Quer entender exatamente o que é independência financeira e como alcançá-la? Continue lendo e confira as informações e dicas que trouxemos para você!

O que é independência financeira?

Quando se fala em independência financeira é comum confundir com o conceito de liberdade financeira. As duas são importantes, mas a liberdade é um passo anterior à independência. O sentido de ser livre financeiramente pode ser diferente para cada pessoa.

Afinal, cada um tem desejos e objetivos próprios. Por exemplo, um adolescente pode considerar que liberdade financeira é poder comprar o que quiser sem depender da família. No caso de um jovem, um desejo comum é ser livre para sair da casa dos pais.

Liberdade significa, então, poder usufruir de maior autonomia com o seu dinheiro. Para isso, é preciso ter organização financeira e montar um patrimônio. Já a independência representa o momento em que você pode escolher parar de trabalhar.

Ou seja, seu patrimônio passa a gerar renda passiva suficiente para que você não precise do trabalho direto para pagar suas contas. A renda passiva é aquela que vem independente da sua energia direta. Por exemplo, com o recebimento de aluguéis de imóveis, dividendos, entre outros.

Por que buscar independência financeira?

A independência financeira não significa necessariamente parar de trabalhar. Há pessoas que alcançam seu objetivo e continuam ativos. O que sua condição financeira traz é a escolha. Assim, podem seguir trabalhando porque gostam da atividade que exercem.

Não é por acaso que grandes investidores e bilionários continuam com uma vida laboral. É o que faz, por exemplo, Warren Buffett — um dos maiores investidores de todos os tempos. Após conquistar a independência financeira, o trabalho deixar de ser uma obrigação e pode se tornar um prazer.

Além de poder escolher se segue ou não trabalhando, que outros motivos podem levar alguém a buscar independência financeira? Uma razão relevante é pode atravessar crises de maneira mais equilibrada. É possível, por exemplo, lidar melhor com problemas de saúde e outros imprevistos.

E quando há crises maiores, que atingem o país ou o mundo? Nesse caso, a independência financeira proporciona uma estrutura que permite enfrentar a situação sem grandes percalços. Afinal, o patrimônio conquistado e cuidado ao longo da vida é sólido.

Além disso, para diversos investidores o objetivo da independência financeira está ligado à qualidade de vida na aposentadoria. Depender da Previdência Social pode significar diminuir o padrão de vida e vivenciar limitações financeiras.

Por fim, é importante ter em mente que os benefícios da independência financeira não ficam reservados apenas para a aposentadoria ou fases difíceis. Quem tem essa liberdade pode viajar, aproveitar a vida e ter experiências. Afinal, não é preciso se prender a um horário de trabalho.

Como conquistar a independência financeira?

Já ficou claro para você o que é independência financeira e o quanto ela pode ser vantajosa, certo? Mas como alcançá-la?

A seguir, veja alguns passos fundamentais para conquistar essa liberdade no futuro!

Faça um planejamento financeiro

Empenhar-se pela independência financeira é como uma longa viagem, exigindo planejamento. É preciso traçar um plano, definir metas intermediárias e, claro, ter disciplina. A organização das finanças tem um papel fundamental nessa questão.

Por mais distante que a independência pareça na sua vida hoje, tudo começa com um primeiro esforço. Ao manter suas finanças organizadas, você passará inicialmente a usufruir de maior equilíbrio. Depois, chegará à liberdade e conquistará a independência financeira.

Para fazer o seu planejamento financeiro, coloque por escrito as suas despesas e veja onde é possível cortar gastos. Faça com que os custos caibam no seu orçamento, de modo que seja possível separar algum dinheiro todo mês para investir.

Pague suas dívidas

Dívidas podem ser muito prejudiciais em um orçamento, impedindo que um dia você alcance a independência financeira. Afinal, além da despesa em si, elas costumam estar associadas a altos juros que consomem o poder do seu dinheiro.

Muitas vezes, elas são decorrentes de compras feitas por impulso. Também podem estar ligadas à tentativa de manter um padrão de vida mais luxuoso do que a renda permite. Se você tem dificuldades nesse sentido, é preciso mudar seu ponto de vista o quanto antes.

Tenha em mente que as dívidas são o oposto da independência. Ao invés de aproveitar o seu dinheiro livremente, você está preso a cobranças e taxas de juros. Assim, procure comprar menos e pagar suas pendências. Consequentemente, será possível investir dinheiro todo mês.

Forme uma reserva de emergência

Quando alguém começa a guardar dinheiro pensando na independência financeira, uma etapa fundamental é formar uma reserva de emergência. Isso significa juntar um valor que seja suficiente para sustentar você e sua família por alguns meses.

Para descobrir o montante ideal, calcule o seu custo de vida mensal. Depois, pense no seguinte: “Eu sentiria segurança se tivesse dinheiro equivalente a quantos meses do meu custo mensal?”.

Como padrão, utiliza-se seis meses. Mas para outras pessoas pode ser interessante reservar mais — como o equivalente a 12 meses. O importante é você acumular uma quantia que consiga dar suporte para sua família em casos de imprevistos.

Invista seu dinheiro

Depois de formar sua reserva de emergência, você estará protegendo não só o seu orçamento presente, mas também os seus sonhos do futuro. Logo, é hora de fazer investimentos visando objetivos específicos.

Eles podem ser de:

  • curto prazo – pagar impostos anuais ou fazer uma viagem por exemplo;
  • médio prazo – como a troca do carro ou uma reforma em casa;
  • longo prazo – aposentadoria, compra de um imóvel e a independência financeira.

Depois de definir suas metas, será preciso escolher investimentos adequados para cada uma delas. Nesse sentido, vale a pena aprender mais sobre o mercado financeiro para fazer escolhas efetivas, de acordo com o seu perfil de risco.

A independência financeira pode parecer impossível para muitas pessoas. Mas você acabou de ver que algumas práticas do dia a dia podem transformar esse sonho em realidade. Com as nossas dicas, ficará mais fácil. O importante é começar a se planejar desde já para ter sucesso!

Fonte: Blog Genial Investimentos