O que é e como funciona uma Oferta Pública de Aquisição?

Você sabia que, depois de abrir o seu capital, uma empresa não precisa permanecer na bolsa de valores para sempre? Por interesse do acionista majoritário ou do grupo controlador, é possível que ocorra a Oferta Pública de Aquisição (OPA).

Trata-se de um processo que afeta diretamente investidores e todo o mercado, já que prevê comprar Ações dos sócios minoritários. Para não se confundir ou encontrar dificuldades diante da ocorrência da situação, o ideal é conhecer as suas características.

Neste artigo, você poderá saber o que é a OPA e como ela funciona. Continue a leitura e confira!

O que é uma Oferta Pública de Aquisições?

Basicamente, uma Ofertas Pública de Aquisição (OPA) é a etapa que ocorre quando uma empresa deseja fechar o seu capital.

Ela acontece quando o acionista majoritário (ou controlador) quer aumentar o controle total sobre o negócio. Para isso, ele precisa comprar os papéis dos acionistas minoritários.

Quais são as suas características?

Pensando no funcionamento dessa oferta pública, é importante notar que ela acontece dentro de regras especificadas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Tudo deve ser feito de maneira regulamentada para evitar o risco de prejuízos para os acionistas minoritários.

Em relação a quem adquire os papéis, pode se tratar de apenas um acionista majoritário. Por exemplo, a gestão do negócio. Ou um grupo de acionistas que desejam ter maior participação nos resultados da empresa.

Uma característica importante envolve a quantidade de Ações adquiridas pelo acionista majoritário ou pelo grupo em questão. A compra pode ser parcial ou total. Nesse último caso, ao final do processo, a companhia terá o seu capital fechado novamente.

Como a OPA funciona?

A oferta pública de aquisição exige uma comunicação ampla para todos os acionistas minoritários. Então a empresa tem que fazer uma publicação de fato relevante. Ou seja, deve divulgar o processo em jornais de grande circulação.

Depois, deve pedir autorização à CVM, que fará uma avaliação e dará um parecer dentro de prazo determinado. Caso o início da OPA seja aprovado, é o momento de considerar as negociações quanto à aquisição propriamente dita.

Um negócio especializado na área é contratado para fazer uma análise e chegar ao valor de aquisição dos papéis. Normalmente, a análise considera a cotação atual, os fluxos de caixa e indicadores fundamentalistas — como o preço sobre patrimônio líquido.

O valor apresentado ao final indica o suposto preço justo para a compra das Ações. Porém, para que o processo seja concluído, dois terços dos acionistas devem concordar com a análise.

Se 10% ou mais discordarem, devem se reunir em assembleia e apresentar uma nova avaliação. Se ela tiver maior valor, será o preço que valerá para a negociação. A partir daí, cabe ao acionista majoritário ou o grupo definir se deseja adquirir por um preço mais alto.

Caso não haja um acordo entre as partes, a OPA não se concretiza e a participação de todos os acionistas é mantida. Já se ela for aprovada, a compra é efetuada e o capital é fechado.

Nesse processo, os investidores minoritários deverão indicar uma corretora para representá-los. A instituição qual poderá atuar em grupos — e, potencialmente, aumentar o poder de negociação.

Para que serve essa oferta pública de Ações?

Como você viu, a OPA se baseia na compra de Ações dos acionistas minoritários, certo? Portanto, uma das suas principais funções é ampliar a participação sobre os resultados do negócio para os acionistas que são considerados majoritários.

Além disso, ela também serve para fechar totalmente o capital de uma empresa e fazer com que o negócio deixe de ser listado em bolsa. Na prática, aumenta o poder de decisão interno da gestão, já que não é preciso submeter as informações e as escolhas para avaliação dos acionistas.

Quais as diferenças entre IPO e OPA?

Quando falamos em oferta pública de ações, a versão de aquisição (que é a OPA) não é a única. Também existe a chamada Oferta Pública Inicial (IPO). Apesar de parecerem iguais, são completamente opostas.

De forma simples, o IPO corresponde à abertura de capital de uma companhia. Então, ele ocorre quando um negócio passa a estar listado na bolsa de valores e realiza a sua primeira negociação de Ações para os acionistas. É algo que marca, portanto, a entrada no mercado de capitais.

Já a OPA, como visto, é o oposto e corresponde ao fechamento da negociação na bolsa de valores, quando feita de maneira completa. Sendo assim, uma OPA só acontece porque houve uma IPO em determinado momento anterior.

O que leva uma empresa a realizar a OPA?

Da mesma forma que há muitas razões para um empreendimento realizar a transição e abrir seu capital, alguns motivos fazem com que ocorra a Oferta Pública de Aquisição. Uma das razões principais envolve a configuração financeira organizacional.

Explica-se: geralmente, uma empresa entra na bolsa de valores com o objetivo de captar recursos para financiar seus projetos. Quando essa fonte de financiamento já não é necessária pela consolidação do negócio, pode ocorrer o fechamento de capital.

O processo também pode ser motivado por perspectivas de bons projetos e resultados no futuro ou mesmo por um desconto no valor atual das Ações. Por outro lado, há menos chances de haver um acordo diante de tais condições de preço.

Por que você precisa conhecer o conceito?

Quem pretende investir em Ações ou conta com os ativos na carteira deve saber do que se trata a OPA. Afinal, a prática representa impactos no mercado e na carteira de diversos investidores.

É muito importante conhecer a OPA para, caso ela aconteça com um de seus papéis, você saiba como proceder. A organização e a integração dos investidores minoritários são essenciais diante de uma oferta que possa ser prejudicial.

Ter mais entendimento sobre o assunto ajuda a evitar que sofra perdas no processo. Portanto, é algo indispensável para proteger melhor o seu portfólio.

Além de afetar seus ativos, o fechamento de capital da empresa pode significar um enfraquecimento do segmento. Isso porque passa a haver menos possibilidades para quem deseja participar de negócios no setor, por exemplo.

Como vimos, a Oferta Pública de Ações é responsável por fechar o capital da empresa na bolsa de valores e, assim, afeta diretamente os investidores. Ao entender como tudo deve acontecer, você terá a chance de se posicionar caso surja essa situação com algum de seus papéis!

Fonte: Blog Genial Investimentos