Seguro de vida: conheça os principais mitos e características

 

Proteger o seu futuro e o da sua família. Essa é a principal característica do seguro de vida, um produto que garante amparo financeiro diante dos imprevistos e infortúnios que podem vir a acontecer.

Infelizmente, o mercado brasileiro de seguros de vida ainda é bastante modesto se comparado ao de outros países. Em 2019, apenas 20% da população afirmava ter uma apólice, segundo pesquisa do Ibope.

Porém, o acesso a informação e o maior interesse por educação financeira têm colaborado para mudar essa realidade. Com opções personalizadas e preços flexíveis, o número de pessoas em busca de um seguro que realmente possa atender às suas necessidades em uma hora difícil tem crescido.

Apesar de ser peça fundamental do planejamento financeiro, mitos e dúvidas em relação ao seguro de vida ainda habitam o imaginário das pessoas. Por isso, neste post, vamos falar sobre as principais características, como funcionam e quais os preços dos seguros de vida no Brasil.

Como funcionam o seguro de vida?

Por meio de um contrato, a pessoa que adquire um seguro pessoal garante o pagamento de uma indenização em dinheiro para os seus familiares caso venha a óbito por causa natural ou por doença. Muitas apólices, no entanto, podem incluir coberturas adicionais, indenizando ainda morte acidental, ocorrência de doenças graves ou situações de invalidez permanente total ou parcial.

Na contratação da apólice, são definidos os prêmios a serem pagos pela seguradora em cada uma das coberturas previstas. O documento inclui ainda os nomes dos beneficiários do prêmio em caso de morte do titular.

As apólices mais completas disponíveis no mercado oferecem também assistência funerária e cobertura para despesas médicas, hospitalares e odontológicas do segurado, bem como cobertura em caso de morte do cônjuge ou dos filhos do titular da apólice.

Existem ainda os seguros que cobrem afastamento do trabalho por acidente ou doença. Nesses casos, a cobertura das diárias pode chegar a um ano, mantendo a renda do segurado pelo período que estiver incapacitado. Essa modalidade é bem comum para trabalhadores autônomos que, diante de imprevistos, não podem contar com a assistência da previdência social.

Independentemente do tipo de cobertura, o seguro de vida é um mecanismo de proteção financeira para o segurado e seus dependentes.

Mitos dos seguros de vida

Embora comercializado no Brasil há mais de 150 anos, o seguro de pessoas  ainda batalha para superar superstições e mitos presentes no senso comum brasileiro. Um dos mais corriqueiros entre eles – a ideia de que obter um seguro de vida poderia atrair azar – afastou por anos muitos chefes de família deste que é um dos itens mais básicos do planejamento das finanças.

O resultado, infelizmente, é uma situação já vivida por muitas pessoas: dificuldades financeiras e uma difícil adequação do estilo de vida da família em meio à dor do luto. Outro equívoco do senso comum em relação ao seguro de pessoas  é pensar que se trata de um privilégio das pessoas mais ricas. Pelo contrário, as famílias que mais precisam dessa proteção são as menos abastadas ou as que têm apenas uma pessoa como o principal provedor financeiro. Nesses núcleos familiares, a perda ou a incapacitação do chefe da família pode trazer consequências devastadoras para a manutenção das finanças.

Há ainda quem acredite que o seguro de vida é útil apenas em caso de falecimento. Na verdade, são muitas as possibilidades de utilização em vida. Como demonstrado acima, há apólices no mercado brasileiro que oferecem cobertura para acidentes, invalidez temporária e permanente, doenças e até cobertura para perda da renda, como em uma situação de desemprego. Vantagens do seguro de pessoas.

Uma das principais vantagens do seguro de vida é a praticidade. O pagamento do prêmio não é atrelado a inventário ou outras burocracias. Logo, os beneficiários podem ter acesso aos recursos tão logo enviem a documentação necessária à seguradora.

Outro ponto positivo para os seguros de vida: o valor recebido pelo titular ou pelos beneficiários em razão de sinistro é isento de Imposto de Renda e, como também não é considerado herança, a indenização não pode ser usada para saldar dívidas contraídas pelo titular.

As apólices que incluem assistência funerária também são mais vantajosas, já que a seguradora cuida de todas as etapas relativas ao velório, enterro ou cremação. No Brasil, o custo médio de um enterro ou cremação simples era, em 2019, de R$ 2.500,00. Nesta cobertura, não apenas os custos já estão incluídos como a seguradora é responsável pela organização de toda a cerimônia e dos traslados, para a conveniência da família que passa por um momento de dor.

Há opções no mercado desenhadas para atender às necessidades de um grupo específico de pessoas, como o seguro mulher. Nessa modalidade, além das coberturas tradicionais, são incluídas outras para doenças femininas graves, como o câncer de mama, assistência para pequenos reparos domésticos, entre outros serviços.

Seguro de vida empresarial

No seguro de vida empresarial, a aquisição da apólice é feita pela empresa para os seus colaboradores. Portanto, trata-se de um benefício oferecido não apenas aos trabalhadores diretos como também às suas famílias.

Nessa modalidade, no entanto, a personalização das coberturas é limitada, já que o seguro precisa atender às necessidades de diferentes pessoas. Por outro lado, a compra em grupo pode garantir uma cobertura mais ampla para os participantes.

Para as empresas, é um benefício de baixo custo, mas com impacto positivo para a retenção de talentos na organização. Além disto, ameniza situações de grande estresse financeiro para o funcionário em momentos de dor, que frequentemente afetam toda a empresa.

Quanto custa e como adquirir um seguro pessoal?

O preço do seguro de vida sempre irá acompanhar a cobertura adquirida. Logo, uma apólice que inclua assistência funeral e indenização para casos de invalidez, por exemplo, terá um valor proporcional à cobertura segurada.

Na hora de calcular o custo do seguro, são levados em consideração fatores como idade, estilo de vida, sexo, profissão, número de dependentes etc. O valor, portanto, irá variar conforme os seus objetivos com a apólice e o seu perfil.

A variação de preços e produtos disponíveis no mercado é grande: é possível encontrar desde seguros com custo em torno de R$ 30 ao mês até os de R$ 300 ao mês.

 

Fonte: Blog Genial Investimentos